Os amigos e familiares ansiosos pela chegada da noiva ficam na dúvida entre olhar para as portas se abrindo, para o noivo emocionado ou para o instrumentista que convida a mulher mais especial do momento a se fazer presente no altar. Os padrinhos tentam conter sua emoção. Alguns inspiram forte e expiram lentamente, outros fecham os olhos devagar e abrem em um milésimo de segundo a fim de se prepararem para a chegada tão esperada. E há aqueles que puxam um lenço do bolso, prevendo que a lágrima irá deslizar por seu rosto, e antes que a maquiagem se desfaça, apertam-no sobre o cantinho dos olhos. O noivo posiciona sua mãos para trás, entrelaça os dedos bem apertados, mas de nada adianta: o frio na barriga não passa. Respira fundo, tenta salivar para sanar a sensação da garganta seca e sorri. Evita olhar para quem estiver lhe olhando, objetivado a não chorar (de alegria) antes de vê-la. A noiva... Se aproxima das portas, olha para a equipe de apoio em sua volta, sorri, posiciona o buquet como a recomendação. Olha para cima, fecha os olhos e faz a respiração completa devagar. Depois, como em um impulso, inspira profundamente e rapidamente, desejando forças para caminhar pela nave e chegar ao altar segura. É como se estivesse pronta para caminhar uma vida inteira ao encontro do seu grande amor. A chamada termina, todos estão prontos a sua espera. A Marcha Nupcial se inicia e as portas se abrem. São segundos, praticamente minutos, de passos até o altar. A primeira troca de olhar é feita entre eles, os noivos. Incrivelmente, apesar de haver bancos lotados, parece que não há mais ninguém neste local, somente eles. Nos passos seguintes, um padrinho brinca com o outro e faz uma piada para tentar descontrair o noivo que começa a morder os lábios de nervosismo - por querer que ela chegue logo em seus braços. Os convidados se olham comentando sobre "como ela está linda", enquanto as crianças se debruçam sobre os cordões decorativos atentas à calda do vestido, que suavemente passa sobre o tapete da passarela. A noiva percebe que todos estão te olhando e na medida do possível acena com um leve movimento da cabeça para os amigos. Mas logo volta seu olhar ao altar, aos padrinhos e ao seu amado. Pronto, chegou. Muitas vezes, entregue pelo pai ou algum ente querido, ela ganha um beijo na testa e observa emocionada o cumprimento sincero e que significa simultaneamente "cuide dela" e "cuidarei dela" entre eles. Oferece sua mão, que é segurada com muito carinho e delicadeza, e posiciona-se junto ao noivo no altar. A harmonia musical tocada vai se findando e fica apenas a harmonia de toda essa energia no local. Como uma egrégora positiva emanada por todos os que presenciaram a cena. Começa o casamento. Os músicos? Descrevem todos estes detalhes através das notas musicais.


Talita Siqueira Petroni
Talitasippe@hotmail.com